Diagnósticos

20 de maio de 2020

 

 

living-the-faith-hearing-from-god-Crossroads.width-240

 

 

O grande desafio das empresas é manter a capacidade de entregar va­lor para seus clientes, manter a identidade com padrão definido, processos eficientes e ao mesmo tempo, gerar lucro. E aí vem a pergunta:

– Na crise que estamos vivendo, no meio de uma quarentena, estamos conseguindo olhar para o nosso negócio e enxergar o que pode melhorar? Talvez o dia a dia esteja tão focado em administrar problemões ou tão dentro deles que, o que pode melhorar, fica em segundo plano… Ou às vezes, com medo de gastar, não toma atitude nenhuma e se afunda ainda mais.

 

Aí entra o Diagnóstico, alguém de fora do negócio, que entende o negócio e enumera as necessidades e melhorias possíveis, aonde a operação, a entrega ou qualidade é deficitária. Com certeza vocês concordam que a boa visão está totalmente relacionada à assertividade nas decisões, o que é imprescindível, afinal o mundo corporativo não é uma corrida de 100m, é uma maratona, não adianta você ser só bom, você tem de durar!

 

Comparando: quando entramos em um quarto escuro, não enxergamos nada e aos poucos, vamos nos situando e passamos a enxergar algumas nuances, da mesma maneira quando estamos sem nenhuma alternativa ou perdidos, tendo nas mãos algumas possibilidades, o véu sai da frente e melhora a visão, assim eu vejo o diagnóstico com as suas as possibilidades de mudança ou melhoria.

 

Em 2019 fiz um Diagnóstico na Fábrika Pães, no Pizza e no A Ostra Bêbada, eles puderam tomar medidas e caminhos mais assertivos, às vezes a visão de quem está de fora complementa ou ajuda a definir o necessário.

 

Estava lendo ontem uma matéria com o Percival Maricato (presidente da Abrasel SP) sobre o momento atual e ele dizia assim:

“Pesquisa entre mais de cem empresários na Abrasel em São Paulo – gente que respira e vive o mercado – concluiu que mais de 35% dos empreendimentos fecharão as portas, um desastre social jamais visto. Tensão, insegurança, medo, outras consequências da crise, pairam no ar, inevitáveis, todos procuram enxugar custos e faturar alguma coisa onde é possível, a palavra de ordem é sobreviver.

Os que sobreviverem e mantiverem equipes deverão largar na frente. Claro que as pessoas voltarão temerosas, mas voltarão… Os bares e restaurantes devem se preparar para a retomada de seu papel, muito mais prestigiados (valorizados pelos clientes pela falta que fizeram), importantes na vida econômica e social, queridos, frequentados. E devem fazer por merecê-lo.

https://abrasel.com.br/revista/artigos-de-opiniao/percival-maricato-os-bares-e-restaurantes-nos-tempos-de-coronavirus/

Por isso seja positivo, tudo passa e isto também vai passar e se achar que precisa, peça ajuda, pois não existe melhor jogador do que todos juntos! Ás vezes seu negócio só precisa de umas boas dicas…

 

 

Comentar

comentário(s)


QUEM ESCREVE
tuxa
Consultora de restaurantes e afins, dá Cursos, Palestras, Mentoring e Treinamento de Equipes e Lideranças.
Tuxa Gonçalves
tuxagoncalves.tg@gmail.com
(41) 98416-9584

TAGS
TODOS OS POSTS